segunda-feira, 28 de março de 2011

TRATAMENTOS ESTÉTICOS PÓS QUEIMADURAS E O USO DA HIDRO-OZONIOTERAPIA





40 dias de procedimento estético, reparação semi-completa. Aguardando pigmentação total

Foto final do tratamento estético pós queimaduras - 60 dias finalizando o procedimento estético, pigmentação em processo inicial do centro para as bordas.


TRATAMENTOS ESTÉTICOS PÓS QUEIMADURAS E O USO DA HIDRO-OZONIOTERAPIA

A primeira alteração na pele após uma queimadura é a permeabilidade capilar. Componentes encontrados no tecido cutâneo como, água, cloro e as proteínas promovem o edema. Resultando hipovolemia e hemoconcentração, sendo necessário monitoramento da pressão sangüínea e hidratação constante.

A excreção de líquidos na ferida da injúria térmica pode ocorrer de 24 a 48 horas. Perdas de sal, água, plasma, albumina, globulina e hemácias, são componentes perdidos do sistema vascular. Aparecimento das flictenas (bolhas) resultante dos líquidos extravasados gerando edema de queimadura.

A dor é resultante das terminações nervosas que são afetadas. A ferida apresentará crosta em 48 horas.

A cicatrização ocorre por células idênticas em torno da lesão, surgindo o processo de epitelização e estimulo na camada germinativa e ou basal, promovendo a multiplicação celular.


A capa córnea é constituída por elementos celulares que perdem toda a estrutura e função, apresentando um desalinhado contorno celular e um endurecimento causado pela elevada concentração de queratina.

    O ozônio sendo trivalente, atua sobre as células fixas do organismo, trazendo ação por intermédio do oxigênio nascente, que tem a faculdade de expelir a defesa de sua constituição, pela eliminação dos agentes nocivos que tentam paralisá-las para delas se alimentarem.. 

O ozônio destrói todos os germes nocivos, consumidos pela combustão, além de todos os resíduos dos alimentos não assimiláveis; procedendo assim a desintoxicação e a limpeza nas mais recônditas e minúsculas partículas do corpo, deixando tudo em perfeita ordem, para que a ação das células se processe sem entraves e demasiados esforços.

O procedimento com ozônio apóia os eritrócitos no desempenho de suas funções biológicas, esta pode ser a razão para um suprimento melhor de oxigênio depois de um procedimento com  O3.

O ozônio melhora a respiração celular por diversos mecanismos, através da recuperação das propriedades de fluxo do sangue (flexibilidade), do aumento da taxa de glicólise nos eritrócitos, do aumento de 2,3 dpe (disfosfoglicerato), da recuperação da liberação de o2, da ativação de enzimas que participam na limpeza de radicais livres de oxigênio ou peróxidos, da descarbonização oxidativa do purivato e, por fim, da ativação da corrente respiratória pela oxidação tóxica na oxidase do citocromo.

O ozônio em aplicação tópica ativa a fagocitose, indução de enzimas (dismutase superóxida), limpeza de lesões, desinfecção e efeito imunoativo local. 

O ozônio exerce um efeito bactericida principalmente na presença de água, nos casos de curativos de feridas.

Na queimadura de segundo grau compromete tanto a epiderme como a derme papilar e reticular, favorecendo o surgimento de flictenas. Na queimadura de 2º grau a derme papilar, é a camada atingida mais atingida, comprometendo a derme reticular pelo processo cumulativo da temperatura da injúria térmica.

Apresenta dor acentuada, edema e eritema. presença de edema, diminuição da sensibilidade de dor, pelo comprometimento das terminações nervosas da derme e base esbranquiçada das flictenas.

       Protocolo Estético:

1  ) anamnese da pele

2 ) higienização emulsão de limpeza - higienização e remoção de resíduos contendo mineral oil e lanolin, promovendo umectação deslizante 

3 ) tonificação com loção calmante - mantém o ph da pele  equilibrado

4 ) esfoliação leve utilizando peeling específico (suave) - afinamento da capa córnea  em torno da lesão

5 ) aplicação de ozônio – sua ação bactericida e nutritiva é de grande importância para a eliminação das toxinas dos capilares e células comprometidos com a injúria térmica. O ozônio hidrata, dilata os poros, nutre as células e fortalece o sistema imunológico, pode ser aplicado na forma de imersão - balneoterapia

      6 )  ionização ionto de uréia polo (-) aniônico – corrente galvânica 3 minutos na sessão
              que utilizar o método de ionização, não será compartilhada com a dlm.


7 ) drenagem linfática 2 vezes na semana, com 72 horas de intervalo

8 ) vacuoterapia manipulos pequenos na periferia da lesão, promoção  da reconexão   rede  capilar

9 ) ultra-som estético  - utiliza 3 ou 5 mhz para o procedimento de redução do quelóide - quando for necessário

10 )  máscaras específicas - base com óleo de lavanda - oclusão  
   
11 )  hidratação com pasta cinza  promoção da cicatrização por óxido de zinco

12 ) alta freqüência - promoção da repitelização dos tecidos  

        13) manutenção do cliente - higenizar, tonificar, hidratar e filtro solar



Resultado Final:

Queimadura de 2° grau, com flictenas, paciente de 22 anos. injúria térmica proveniente calda de açúcar.

Procedimento Estético: 2 sessões semanais de duas horas, intercalando DLM e ionização. 


Um comentário:

  1. Boa noite Rosângela, moro em Natal-RN e estou cursando Estétcia e Cosmética na Universidade Potiguar. Eu e meu grupo do TCC vimos sobre o uso da Hidrozonoterapia em queimaduras aqui no seu Blog e nos interessamos no assunto para realizar o nosso projeto. Sera que você poderia nos passar seu e-mail para que possamos entrar em contato contigo? Obrigada e boa noite! :)

    ResponderExcluir